Projeto utiliza terapia com animais em tratamento de crianças com microcefalia

Profissionais de seis áreas diferentes desenvolvem desde março deste ano o projeto “Pele e Pêlo”, na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), no Sertão de Pernambuco. O projeto consiste em promover a terapia assistida por animais em crianças com microcefalia. Através do contato com os cães, elas recebem estílumos sensoriais e visuais.

De acordo com o coordenador do projeto, o “Pele e Pêlo” possibilita um tratamento personalizado. “Esse projeto surgiu a partir de uma demanda que a gente encontrou. Em contato com as crianças, nós descobrimos que eles tinham muita necessidade de um tratamento personalizado. Nós percebemos que os trabalhos eram feitos em grupos, com várias crianças para um só profissional. Aqui a gente faz o tratamento individualizado, onde são vários profissionais para uma só criança”, explicou o médico veterinário Wasley de Matos.

No projeto, as crianças são atendidas individualmente  (Foto: Amanda Lima)

No projeto, as crianças são atendidas individualmente (Foto: Amanda Lima)

Segundo Wasley, a terapia assistida por animais ainda não tem relatos de resultados científicos divulgados no Brasil. Para o fisioterapeuta Eric Lessa, a prática auxilia o desenvolvimento das fases da criança. “No projeto a gente vai trabalhar as fases de desenvolvimento da criança. Onde eles ainda não conseguiram atingir. O cachorro que tem um papel extremamente importante na questão do desenvolvimento da sensibilidade. A gente estimula a sensibilidade do paciente através de lambidas, do pêlo, a temperatura. Tudo isso vai ajudar nessas fases”, ressaltou Eric.

As crainças recebem estímulos através do contato com os cães (Foto: Amanda Lima)

As crainças recebem estímulos através do contato com os cães (Foto: Amanda Lima)

O projeto conta com onze profissionais das áreas de veterinária, terapia ocupacional, fisioterapia, médicina, assistência social e psicologia. Para mãe do Fernando Guilherme, atenido pelo “Pele e Pêlo”, Damiana Andrade, a multidisciplinaridade oferecida no projeto é o grande diferencial para o tratamento das crianças. “Eu gostei porque esse projeto tem Terapeuta Ocupacional, coisa que eles não tem fora daqui. Ter atendimento psicológico para mim é muito bom, é uma coisa nova pra gente. Ás vezes eu me sinto perdida, porque eu nunca imaginei ter um filho assim especial. E com a psicóloga a gente desabafa e fala em relação a microcefalia e outros assuntos”, elogia.

Atualmente o “Pele e Pêlo” atende cinco bebês, com idade média de um ano e seis meses. As sessões acontecem uma vez por semana e tem duração de meia hora por criança. Em cinco meses de funionamento, os resultados já são percebidos pelas mães. “Com esse projeto eles desenvolveram mais ainda. Eu percebi que o Fernando sustenta mais o pescoço, está abrindo a mão”, comemora Damiana.

fonte:http://g1.globo.com/pe/petrolina-regiao/noticia/projeto-utiliza-terapia-com-animais-em-tratamento-de-criancas-com-microcefalia.ghtml

Notícias Relacionados(as)

ENCAMINHE POR EMAIL

Todas as notícias

ENCAMINHE ESSA NOTÍCIA POR EMAIL

Formulário de Proposta

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

Facebook Twitter